domingo, 27 de dezembro de 2009

Encontro dos astros

Demorou, mas enfim fizeram justiça ao maior artilheiro do Maracanã...

Caros amigos, o dia 27/12/09 vai ficar marcado na história do futebol mundial. Poucas vezes pôde ser visto tantos craques do passado e do presente no maior palco do futebol mundial e sob os olhares da maior torcida do mundo. Zico, Romário, Adriano, Angelim, Fábio Luciano, Djalminha, Falcão, Adílio, Andrade, Jorginho, Juan, Nunes, Renato Gaúcho, Edmundo, Vagner Love, Tita, Cláudio Adão e outros. Uma verdadeira constelação, claro que alguns dessa lista poderiam ter brilhado muito mais se tivessem jogado mais tempo no Mengão. Mas preferiram jogar onde a pressão era menor, a cobrança era menor e principalmente, a glória nem se compara com a glória dos ídolos Rubro-Negros.

Zico e Romário selaram a paz 11 anos depois de se desentenderem. E a paz foi selada do jeito que tinha de ser: no campo e com belos lances que fizeram o torcedor sonhar com um ataque formado por Zico, Romário e o Imperador. Zico mostrou a classe e categoria habitual. Romário relembrou os tempos de belos gols e lançamentos pela seleção e pelo Mais Querido. Romário foi ovacionado: "olelê, olalá, Romário vem aí e o bicho vai pegar!". Uh uh uh, o Romário é urubu". Zico, o rei da festa foi mais uma vez adorado no palco em que ele se consagrou e alegrou a Nação: Ei ei ei, o Zico é nosso rei!". "Zico, Zico, Zico!".

A torcida mais uma vez não decepcionou e depois de quebrar todos os recordes de público e renda neste ano, faltava ainda um: o maior público em jogos beneficentes. 72 mil presentes, ajudamos a família do nosso ídolo Zé Carlos, o ídolo tricolor Washington e algumas instituições de caridade. O torcida do Fla segue sendo o trêm pagador do futebol e além de movimentar o futebol nacional, agora estamos ajudando ídolos de outros clubes, já que a torcida arco-íris e os diretores adversários não possuem a mesma força econômica, apesar de baterem no peito para dizerem que são bem sucedidos. Não precisam nos agradecer, a caridade é algo inerente do Rubro-Negro, e fazemos isso sem esperar nada em troca, até porque a recompensa vem todos os anos com títulos estaduais e nacionais.
Foi bom ver que o Romário continua identificado com a Nação, ele que nunca pediu para sair e até hoje demonstra seu carinho pela torcida e sempre deixou claro que é Rubro-Negro de coração. Foi bom ver o Galinho e todos aqueles que ajudaram o Fla nestes 6 títulos nacionais. Foi bom ver 70 mil torcedores no maraca novamente. Foi bom ver que não foi final de campeonato, não foi jogo oficial, mas foi o jogo da paz, da reconciliação, da comemoração e da caridade. Foi o jogo da Nação, e ela faz a diferença, seja nas decisões ou nas obras beneficentes. Parabéns Nação, por mais essa demonstração de grandeza, e é claro:

Obrigado Zico, por seu eterno talento de nos proporcionar felicidades sem fim!

SRN

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Valorizem aqueles que honram o Flamengo


Caros amigos, é inegável o clima de festa e de carnaval fora de época que tomou conta do páis e do mundo. Muito me orgulhou conhecer a história de um russo e um ucraniano apaixonados pelo Mengão e que até fizeram um site para acompanhar o Flamengo. Isso mostra a nossa força e o nosso carisma no exterior.

Todos os dias, toda semana somos informados de algum evento em comemoração ao Hexa. Sábado teve "Samba do Hexa" na Mangueira; domingo teve passeata do Hexa no Leblon; teremos outro "Samba do Hexa" no Salgueiro, isso fora o mar vermelho e preto que tomou conta da cidade. Se bem que já estamos acostumados a sermos maioria e tomar conta do Rio, mas com um título nacional, a camisa Rubro-Negra é quase uniforme obrigatório do cidadão carioca.

Entretanto, percebo que a festa não está restrita à torcida. Isso muito me preocupa, pois não tenho percebido qualquer movimentação do Flamengo para o planejamento 2010. Temos a Libertadores e até agora somente algumas especulações sem qualquer definição. Temos que resolver logo a situação do técnico. O Andrade merece receber salário de mercado. Até quando a diretoria do Flamengo tratará nosso eterno ídolo como se fosse qualquer um? Quem a diretoria contrará por R$ 120 mil? Ninguém! Por isso, acertem logo o salário do Andrade, pois ele merece ser valorizado e vamos planejar logo a temporada de 2010.

Andrade já deu provas suficientes de seu amor ao Flamengo. Somos gratos pelo que fez como jogador e como técnico. Acho ele uma pessoa fantástica e não está pedindo nada demais. Ou será demais querer receber um salário compatível com o mercado? O Silas que é um técnico iniciante também, está recebendo 50% mais que o Andrade pediu. Gostaria muito que o Andrade continuasse no Flamengo, mas se a diretoria não tiver o bom senso de ser justa, sou o 1° a torcer para o Andrade ir para os Emirados Árabes, construir sua independência financeira e ser valorizado. Não podemos ser ingratos. Se a diretoria é incapaz de valorizar uma prata da casa que conquistou diversos títulos como jogador e nos tirou de uma fila de 17 anos, que ele seja valorizado em outro lugar, pois merece muito ser feliz e realizar seus sonho.

O pior é que a diretoria fica fazendo docinho para renovar com o Andrade, aí o cara sai por não ser valorizado e contratamos um técnico sem qualquer identificação com o clube pelo mesmo salário que ele pediu ou até mais. Não me entendam mal. Não estou torcendo pela saída do Andrade, longe disso. Quero que ele fique. Mas também acho que devemos honrar e agradecer àqueles que honram o Manto, e se não querem honrar o Andrade, que ele realize os seus sonhos e projetos, pois nós torcedores, teremos sempre admiração e agradecimento por tudo que ele fez, independentemente de onde esteja.

Enquanto isso, a festa da torcida continua e a diretoria deve encerrar as homenagens e festas e começar a pensar e planejar 2010, com renovações de contrato e contratações pontuais. Queremos agora a Libertadores.

SRN

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Ser Flamengo é...


Caros amigos, difícil definir o que é ser Flamengo. Existem muitas definições e por mais que tentemos, jamais acharemos a palavra ou a frase perfeita para definir o que sentimos toda vez que vestimos o Manto, que gritamos Flamengo ou simplesmente pensamos em Flamengo.

Estava lendo as notítcias na internet e li que o Flamengo já vendeu mais de 1 milhão de camisas em 5 meses. Um recorde no Brasil. Nenhum outro clube vendeu tantas camisas em tão pouco tempo, nem mesmo o Corinthians com o "Bum" que foi a contratação do Ronaldo. Lembrando que quando o Adriano foi contratado, nós já tínhamos atingido a marca de mais de 400 mil camisas vendidas. Ou seja, vendemos mais que todos com Obina, Josiel, etc. O Flamengo arrecada R$ 8,00 por camisa vendida, por isso são mais de 8 milhões de reais só com venda de camisas.

Outra notícia impressionante é que a nova loja do Flamengo a "Fla Concept" localizada na sede do clube, vendeu em 4 dias mais de 1 milhão de reais. Isso contando sexta e sábado antes do título, domingo e segunda. Apenas a título ilustrativo, o São Paulo quando foi campeão brasileiro arrecadou R$ 300 mil em uma semana. O Flamengo atingiu R$ 380 mil em vendas apenas na segunda após o título. Inter com o título Mundial arrecadou apenas R$ 100 mil.

Isso mostra a força da nossa torcida que não mede esforços para ver o time, esteja onde ele estiver, custe o que custar. O número das vendas deve estar dando uma dor de cabeça nos diretores da Nike, enquanto que os diretores da Olympikus estão dormindo sorrindo. A Petrobrás deve ser outra que está arrependida por ter deixado o Flamengo. Agora estão aí negociando uma volta.

Mas o que seria ser Flamengo? É claro que não podemos responder a esta pergunta apenas com números de vendas de camisas. Mas quando analisamos o conjunto da obra, ou seja, venda de produtos, maior média de público dos últimos 3 anos, as demonstrações de sacrifícios para ver um jogo, as comemorações por toda parte do planeta, aí podemos ter uma noção do que é ser Flamengo.

No entanto, não há definição exata. Ser mais apaixonado, ser mais emotivo, ser mais guerreiro. Todas essas definições são insuficientes. Por isso, depois de muito pensar, chego à conclusão que ser Flamengo é simplesmente ser Flamengo. Quem é, sabe o que significa, e quem não é, jamais entenderá.

SRN

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

HEXACAMPEÃO - PERSONAGENS DA HUMILDADE

Caros amigos, um post não seria suficiente para expressar a felicidade de um Rubro-Negro após o merecido HEXACAMPEONATO. Por isso aqui estou eu mais uma vez para falar do Mais Querido. Já falei das lições de superação, insistência, confiança e força de vontade. Agora quero falar das lições de humildade. Logo nós que somos acusados de arrogância pelo fato de confiarmos e acreditarmos em nosso time, estamos agora aplicando nos nossos adversários a maior lição de que com humildade e confiança tudo é possível.


Humildade começou com a volta do Adriano e a sua flagrante simplicidade. Com o retorno do Pet e o seu desejo de ser apenas mais um a ajudar, ao invés de se declarar a estrela do time. Mas o grande símbolo de humildade é a figura do Andrade. Se alguém conhecer uma pessoa que expresse tão bem a figura da humildade aliada à competência, por favor me informe. Ele suportou injustiças dentro do seu próprio clube de coração. Superou a desconfiança e a vontade dos dirigentes em tê-lo apenas como auxiliar. Mostrou sua competência e principalmente, consiguiu algo que parecia impossível: mais admiração dos torcedores.

As palavras dos seus ex-companheiros de campo refletem bem o seu caráter. Zico: "Andrade sempre falou pouco, mas quando falava todos paravam e ouviam atentamente. Sempre teve uma grande visão de jogo, por isso, todos respeitavam muito as suas opiniões". Segunda-feira no programa "Bem, amigos" da Sportv, Galvão pediu para o Junior Capacete apresentar o amigo Andrade. Junior visivelmente emocionado com o sucesso do amigo não economizou palavras para elogiar o Tromba. Seus olhos brilhantes era o reflexo do quão querido é o Andrade. Tenho amigos vascaínos que torciam não para o Flamengo, mas pelo Andrade. O cara conseguiu conquistar até o lado obscuro do futebol.


Mas quis o futebol que outro exemplo de humildade virasse herói neste final de campeonato. Angelim, o cara sincero, simples, discreto. Um verdadeiro trabalhador, faz o seu serviço com competência sem ser muito notado, apenas mostrando a sua importância. Foi-se o Capitão com muitos créditos e ele ficou. Entrou o Álvaro ganhando vários elogios e lá estava ele, na dele, na humildade.

Quis o destino que o Magro de Aço, na sua simplicidade, humildade e perseverância fizesse um único gol em todo o campeonato brasileiro, e que gol. O gol do título, o gol do fim da espera interminável. O gol que trouxe felicidade à maior parte da população brasileira.

Obrigado Flamengo, obrigado ANdrade, obrigado Angelim. A humildade de vocês é o que aumenta o nosso orgulho em vestir o Manto e ao mesmo tempo nos ensina a lição: a humildade nunca e jamais será sinal de fraqueza, ao contrário, é com ela que conquistamos nossas metas e mostramos a força existente em cada um de nós.

SRN

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

HEXACAMPEÃO!!!!


Caros amigos, impossível não ser contagiado pela euforia e felicidade que tomou conta do Brasil após a vitória do Flamengo sobre o Grêmio e a consequente conquista do HEXACAMPEONATO. Um título inconteste, de pura superação. Há quem se supere e comemore o acesso à série A do Brasileiro; há quem se supere e comemore a permanência da elite do futebol. Agora o Rubro-Negro carioca se supera e comemora o título mais importante do nosso país!

Foi um título com a cara do Flamengo. Este que é o clube que com certeza melhor representa o país. Foi o título da superação, da recuperação, da quebra dos preconceitos, da luta, da insistência, da fé, do sofrimento, da alegria, da miscigenação e principalmente, o título de uma Nação enlouquecida que se manteve inabalável, mesmo quando todos diziam que o Flamengo seria um mero coadjuvante.

Mostramos que o Flamengo é maior que tudo e todos. Recuperamos jogadores que eram tidos como acabados para futebol, abandonados em seus clubes e transformamos estes em campeões, vencedores, ídolos e imortais. Começamos pelo Adriano, que estava triste e deprimido em sua própria fortuna e decidiu voltar às origens. Foi massacrado pela mídia e pela sociedade por dizer que a sua felicidade não estava num castelo, mas sim em sua comunidade e próximo daqueles que eram seus amigos antes da riqueza. Recuperamos a sua felicidade dele e ele nos proporcionou alegrias em dobro com seus gols magníficos, sendo um dos principais personagens deste título.

Trouxemos o Pet ao cenário do futebol novamente. Cercado de desconfiança e tido como um ex-atleta, ele foi o toque de criatividade do meio-campo e fez partidas memoráveis, nos lembrando aquele Pet de 2001, quando nos deu mais um título em cima dos pobres vices da gama. Recuperamos jogadores esquecidos em seus times e fadados ao esquecimento como Álvaro e Maldonado, tão importantes nesta jornada vitoriosa.

Agora, o grande responsável por este título inesquecível, com certeza, é o nosso querido Andrade, o Tromba. Ele foi responsável pela maior recuperação nos últimos anos. A recuperação do espírito Rubro-Negro. Da luta e da sede por títulos. Ele mostrou que para se fazer um bom trabalho e ser reconhecido, não é preciso ser mal educado e ignorante. Com seu jeito tímido, discreto e educado, mostrou toda sua competência. Uniu o grupo e fez os jogadores entenderem que no Flamengo tudo é possível. Fez entenderem que quem honra o Manto é eternizado na mente do torcedor. Fez entender que no Flamengo é Vencer, Vencer e Vencer.

Um título da Raça, do Amor e da Paixão; um título da humildade, serenidade e competência; um título da nova geração, de uma renovação da Nação; um título que leva o Flamengo de volta ao topo máximo do Brasil, Aquele que tão bem representa a histótia do país, que tão bem representa o povo brasileiro, aquele que deve ser tido como exemplo de união de classes, cores, raças e religiões. Um título para que todo torcedor possa bater no peito e mais do que nunca gritar a plenos pulmões: "EU TERIA UM DESGOSTO PROFUNDO, SE FALTASSE O FLAMENGO NO MUNDO!"
HEXACAMPEÃO!!!! PARABÉNS FLAMENGO, PARABÉNS NAÇÃO!!!!
Continua....
SRN

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Para jogar com seriedade


Caros amigos, a semana parece não ter fim. Durmo e acordo pensando no jogo de domingo. Meu coração está acelerado e temo por um ataque cardíaco. Muito se fala e muito se especula sobre o Flamengo ter a sua vida facilitada.

Primeiro foi o Corinthians. Os invejosos insistem na ideia que o Corinthians entregou. Quem viu o jogo sabe que o Corinthians pressionou bastante o Flamengo no 2° tempo. Esquecem que o Corinthians perdeu na rodada anterior para o rebaixado Náutico em pleno Pacaembu. Ou seja, já faz tempo que o Corinthians não joga nada. O pênalti ocorreu nos acréscimos e mesmo que o Felipe pegasse, não adiantaria nada.

Agora vem essa onda de "entrega Grêmio". Quero pedir muita calma nessa hora. Se o Flamengo entrar nessa que o título está ganho e que eles vão entregar, o final pode ser muito triste para nós. Eu acredito no Andrade que é um cara discreto e consciente. Em momento algum ele se empolgou demais e sempre teve a preocupação de acalmar os ânimos. Sua simples imagem conseguiu contagiar o elenco, a torcida e até mesmo o fanfarrão Márcio Braga, que está pregando humildade e seriedade.

Por isso, tenho a certeza que o Andrade está conversando com o elenco, para que entrem jogando uma final, do jeito que se deve jogar, sem acreditar nesse papo bobo de entregar jogo. Pois acreditando nisso podemos nos dar muito mal e sermos surpreendidos por um Grêmio interessado e buscando o resultado.

É hora de mostrarmos a nossa força característica. Vencemos todas as decisões de campeonato brasileiro. Jamais fomos vices. E é com esse espírito que temos que entrar em campo. Focados e determinados. Aí sim, poderemos no final do jogo soltar o grito preso há 17 anos: HEXA CAMPEÃO!!!

SRN

domingo, 29 de novembro de 2009

Depende de nós!


Caros amigos, a paulistada está apavorada e chorando por causa da vitória do Flamengo. Me divirto com o chororô que tomou conta dos discursos paulistanos. Desafio qualquer pessoa a descrever onde o Flamengo foi tão beneficiado no jogo de hoje. Isso é papo de chorão e de clubes que já foram beneficiados em situações escandalosas. Ainda mais o Corinthians depois daquele campeonato de 2005.

Mas não darei muita audiência aos maus perdedores que agora querem colocar em dúvida uma campanha sensacional neste segundo turno. Mas o campeonato ainda não acabou. Teremos uma batalha muito séria e difícil no domingo contra o Grêmio. Não podemos entrar na onda de já ganhou. Vamos obedecer ao mestre Andrade e acabar com o oba-oba. Manter a humildade e trabalhar nesta semana para sermos campeões.

Com certeza a torcida já prepara uma festa incrível. Os ingressos já estão esgotados desde o primeiro dia de venda, o que mostra a confiança da torcida no título. Jogar com raça e determinação. Fazer os gols necessários e de preferência, que não me mate do coração, pois ele já está fraquinho com as constantes acelerações e depois a parada súbita.

É isso aí galera, depende apenas de nós mesmos. Conquistamos a liderança na penúltima rodada, no momento em que tínhamos que conquistar. Agora se o Fla tivesse ganho do Goiás, hoje já seríamos campeões. Vai ficar tudo para a última rodada. "Ele me mata, me maltrata...".

Vai pra cima deles Mengo.

SRN

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Desistir nunca, render-se jamais


Caros amigos, é claro que após o jogo bateu aquela apatia em todos. Impossível se manter inerte ao acontecimento deste domingo. Ao terminar o jogo confesso que fiquei bastante triste e angustiado com o resultado. Não é para menos. Apenas aqueles que não vivem Flamengo e não carregam essa paixão intensa conseguem se manter indiferente ao resultado inesperado.

Entretanto, não é a hora de desanimar. A hora é de recarregar as energias, pensar no próximo jogo e torcer pela combinação de resultados que nos trará o tão esperado título. Sei que as coisas ficaram mais difíceis, sei que o SP não costuma vacilar duas vezes em momentos decisivos. Mas também sei que torço para um clube de tradição, um clube de tantas glórias, de tantos títulos e que com certeza não se renderá jamais.

As palavras do Bruno após o jogo foram corretas. Disse que não havia terminado ainda e que não tinham chegado até ali a toa. Adriano também injetou ânimo nos companheiros no vestiário. Disse que não queria clima de velório e que não haviam perdido nada ainda. Esse é o espírito Nação Rubro-Negra. Se os jogadores têm isso na mente e no coração, nós não podemos desistir.

A festa de ontem foi linda e inigualável. Para matar de inveja aqueles que acham que podem fazer uma festa do tamanho da nossa. Infelizmente o resultado não foi o esperado. mas vamos manter a fé. Ninguém deseja mais esse título que a torcida Rubro-Negra. E a hora é de mostrar confiança no elenco, no trabalho que foi feito e continuar torcendo incondicionalmente pelo nosso Mengão.

Desistir nunca, render-se jamais!

SRN

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Um comandante, um time, uma democracia...



Ontem foi mais um dia comemorativo para o Flamengo. Foi o Dia do Flamengo. E o torcedor Rubro-Negro com certeza tem muitos motivos para comemorar. Ainda não ganhamos o título da série A, mas já ganhamos algo que é muito mais importante: o retorno do espírito rubro-negro.

Fazia tempo que não tínhamos um time tão dedicado, tão comprometido com as tradições do Flamengo. Um time que joga pra frente e que ao mesmo tempo marca bem. Um time compacto, aplicado e eficiente. Uma zaga segura, um goleiro em ótima fase, um meio-campo guerreiro e criativo e um ataque que impõe respeito.

Mas uma pessoa se destaca demais, e não é por aparecer dando entrevistas polêmicas, nem por ser mau humorado. Muito pelo contrário, o cara é super educado e discreto. Mas aparece pelo seu trabalho bem feito, por ter unido o grupo, por ter acabado com as panelinhas. Por transformar um time desacreditado em um time vencedor e que briga pelo título.

Muitos tentam tirar os méritos dele, dizendo que ele não manda em nada. Mas essas pessoas são pessoas acostumados a um regime de ditadura, onde só vale o que o comandante diz e ponto. Não estão habituados a uma democracia, onde todos têm o direito de expor seus pensamentos, e o comandante ouve a todos, experimenta e aplica aquele que melhor atender aos interesses do clube e do elenco.

Alguns chamam isso de falta de comando ou insegurança. Eu prefiro dizer que é a verdadeira democracia, respeito aos comandados, humildade em reconhecer que não é o dono da verdade e interesse em aplicar o melhor para o clube independentemente de quem tenha razão. A eficiência deste estilo de trabalho é de fácil percepção, é só os críticos de plantão olharem os resultados do Mengão pós Andrade.

Impressionante como o clube do São Paulo está empenhado em mais uma vez manipular o STJD e a arbitragem dos jogos. Preocupados com o avanço do Mengão, agora virou rotina dirigentes e jogadores falarem em favorecimentos ao Mengão. Agora foi a vez do Arouca falar que está preocupado com os bastidores. Isso reflete o medo deles em perderem o título. Esqueceram de olhar o passado recente e os benefícios que o SP recebeu da arbitragem e dos bastidores. Esqueceram também de olhar o campeonato brasileiro e verem que o Flamengo está jogando muito e que as acusações não têm qualquer fundamento. Se liga SP, vamos jogar futebol e parar com esse papo de bastidores. Não criem desculpas antecipadas para o sucesso do Flamengo.

SRN

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Parabéns Mengão!!!!


Caros amigos, o dia 15 de novembro é com toda certeza uma data marcante em nosso país. Foi nessa data em 1889 no Rio de Janeiro que foi proclamada a República do Brasil. Um fato importante em nossa história, mas não tão importante como o dia 15 de novembro de 1895, quando foi fundado oficialmente o Grupo de Regatas Flamengo, que posteriormente tornou-se o Clube de Regatas do Flamengo.

Ontem completamos 114 anos de uma história repleta de glórias e conquistas. Completamos 114 anos de um clube que conseguiu unir em sua torcida todas as classes sociais, sem discriminações, acepções, mostrando que não há diferenças entre as pessoas e que todos são iguais.
Com certeza a torcida do Flamengo é a torcida que melhor representa o país. Pela sua ousadia, irreverência, criatividade, pela miscigenação, pela confiança e carrega no peito e na mente o pensamento e sentimento de "não desisto nunca".

114 anos de uma nova República: a República Federativa do Flamengo. Federação significa a união indissolúvel dos Estados. E o Flamengo é uma federação, pois une os Estados de uma ponta a outra do Brasil através do amor incondicional ao Mais Querido. Uma República de igualdade, fraternidade, união e principalmente felicidades e conquistas.

114 anos comemorados longe da cidade fundadora. Isso para mostrar que realmente a República Rubro-Negra une os Estados de maneira indissolúvel. A única diferença é que essa República apresenta traços peculiares, como por exemplo ser comandada por um Imperador. A federação também em alguns momentos apresenta traços de Confederação, pois se une a países que guardam a sua soberania, como por exemplo, a Sérvia, o Chile, Argentina, etc.

É difícil descrever o sentimento de torcer para o Flamengo e principlamente dizer algo para parabenizar este clube maravilhoso e essa torcida que simplesmente ignora os gritos preconceituosos vindos do outro lado, com mais união, e demonstrando que não importa o que digam, não importa a classe social, raça, religião, somos brasileiros, flamenguistas, somos todos iguais.

Para finalizar, quero registrar minha paixão infinita pelo Mengão, parabenizar pelo seu dia e dizer que "eu teria um desgosto profundo se faltasse o Flamengo no Mundo"!!!!!

Galera, não cosegui colocar o vídeo neste post, mas quem quiser se emocionar com o Mengão, clique aqui.

SRN

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Como na década de 80!


Às vezes somos chamados de loucos, prepotentes, arrogantes e sonhadores. Mas acredito que os adversários dizem isso simplesmente para não admitirem a verdade. Na verdade somos confiantes. Quando dizemos que o Flamengo disputará o título mesmo estando em 14° lugar e com uma diferença de 12 pontos do líder, não falamos por falar, ou apenas para irritar os adversários. Falamos porque realmente acreditamos na força da camisa, na integração jogadores-torcida e na certeza que o Flamengo sempre tem que buscar o melhor lugar.

Muitas das vezes essa confiança é mal interpretada e eu até entendo. Não são todos os torcedores que acreditam até o final, que não desistem jamais dos objetivos, por isso, para eles é difícil entender como o Rubro-Negro acredita em situações onde a maioria já estaria jogando a toalha.

Quando o Flamengo perdeu para o Barueri, a torcida arco-íris parecia ter ganho um título. Recebi diversos e-mails com o título "o sonho acabou". Mas muito me orgulhei ao ler nos blogs Rubro-Negros que nenhum Flamenguista havia jogado a toalha. Muito pelo contrário, estavam todos dizendo que ainda dava e que o Flamengo voltaria a buscar o título.

Ontem, diante de um clima hostil, das dificuldades que impuseram para o torcedor Rubro-Negro, do clima de final de campeonato e de lembranças da década de 80, o Flamengo foi soberano em campo e a torcida que não recebeu o tratamento devido e ainda foi impedida de ir ao estádio, por não ter sido reservado a carga necessária de ingressos, não se abateu. Torceu e calou o Mineirão. Não adiantou ter privado a presença da massa Rubro-Negra, pois onde tiver 1 torcedor Rubro-Negro, apenas 1, este com certeza será o combustível para os guerreiros no gramado.

Transformamos o Galo em galinha, nosso maior freguês interestadual, como fazemos desde a década de 80. Mostramos que somos fortes e que iremos batalhar até o final pela conquista do título. Ainda que nos chamem de loucos e que ninguém acredite, pois basta a confiança do torcedor Rubro-Negro para fazer do Flamengo um clube vencedor.

SRN

terça-feira, 3 de novembro de 2009

O milagre da multiplicação

Galera, sábado foi demais. Não digo nem tanto pelo jogo, que foi mais ou menos. Mas a torcida do Mengão mais uma vez deu um show na arquibancada, mostrando que o Maraca só é Maraca de verdade quando ele é habitado por Rubro-Negros. O Engenhão (estádio da prefeitura) é um estádio moderno e bonito, mas não tem a mesma magia do Maracanã. Não dá pra explicar, não existem palavras para descrever a sensação de estar no Maraca. Da mesma forma que não dá pra descrever o porquê do Maraca não ter a mesma graça com outra torcida que não seja a do Flamengo. Eles até tentam, fazem campanha para lotar estádio, mas a festa só se completa com a torcida Rubro-Negra. É uma química perfeita entre estádio e torcida. Lá é realmente a nossa casa por merecimento.


Os adversários tentam todos os dias arrumar uma forma de provocar o Flamenguista. Mas se perguntam angustiados: "Como pode um clube ter tanta torcida? Como podem se manter tanto tempo no topo como maior torcida, inabalável? Como pode o Flamengo de Zico conseguir mais adeptos que o Santos de Pelé, ou o Botafogo de Garrincha ou qualquer outro clube na face da terra? Respondo: o segredo está justamente na paixão do torcedor, que transmite esse amor de pai pra filho e contagia todos aqueles que estejam de coração aberto para conhecer a mais intensa sensação de paixão por um clube. Palavras não são suficientes para expressar o fenômeno Flamengo. Mas o vídeo abaixo demonstra um dos motivos pelo qual não paramos de crescer, não paramos de nos multiplicar e não cansamos jamais de expressar o nosso amor, ensinando aos menores torcedores o caminho da felicidade:


video

Luizinho, irmão da minha afilhada e novo Rubro-Negro. Meu futuro companheiro de Maraca. Minha afilhada com 4 anos já vibra com o Mengão e vive me pedindo para levá-la ao Maraca. É adversários, preparem-se para mais uma geração de supremacia Rubro-Negra.

Por fim, quarta-feira é tudo ou nada. Estão especulando uma derrota do Fla para o Galo. Especularam a mesma coisa contra o Palmeiras e sacudimos. Especularam contra o São Paulo e deu Mengão. Lembre-se que o Galo é um dos nossos maiores fregueses e sempre tremem num jogo decisivo contra o Mais Querido. Estou muito confiante numa vitória e estarei junto com a nova geração de Rubro-Negros vibrando com o Mengão.

SRN

sábado, 31 de outubro de 2009

Na balada do bom e velho Maraca!

Amigos Rubro-Negros, quem teve o privilégio de comparecer hoje no Maraca, pôde ver mais um show da torcida Rubro-Negra. Mais de 80 mil presentes e mais de 77 mil pagantes. Foi bom demais, aliás é sempre muito bom ir ao Maracanã.

Mas falando do jogo em si, não foi grandes coisas. O primeiro tempo o Flamengo dominou e marcou logo no início com o Imperador. Depois um pênalti infantil do Airton, totalmente desnecessário. Mas felizmente temos o Bruno e mais uma vez ele foi lá e fez a parte dele. Pegou o pênalti sem rebote. Fim do primeiro tempo e festa na arquibancada.

No segundo tempo, mais uma vez o Flamengo se encolheu e permitiu que o adversário ficasse tocando a bola de um lado ao outro com liberdade. Pet estava nitidamente cansado. Adriano também estava cansado. Mas Zé Roberto estava impossível. Marcou, armou, arrancou, fez um pouco de tudo e saiu ovacionado pela torcida. Pet e Willians também saíram. Adriano ainda teve duas grandes chances de gol antes do árbitro marcar mais um pênalti para o Santos. Entretanto, Bruno foi o nome do jogo e defendeu mais uma vez para delírio da Nação. Mesmo não jogando bem, o Flamengo venceu. Mas é preciso melhorar muito para vencermos o Atlético-MG no domingo e para batermos nossos próximos adversários que serão mais difíceis que o Santos.

Alguns destaques do jogo: Adriano é diferenciado e leva perigo em praticamente todas as jogadas. Zé Roberto está cheio de disposição, incansável e sempre buscando o ataque. Willians é um guerreiro e ainda está arriscando jogadas de habilidade. Maldonado é burocrático na saída de bola, mas é importantíssimo nos desarmes. Por fim, Bruno foi a salvação, o craque do jogo.


Meus amigos, realmente algumas coisas não têm explicação. Ir ao Maraca lotado de Rubro-Negros com certeza é algo que todo ser humano deveria fazer. É algo mágico, "é aquela massa uniforme pulando. Eles não se sentam, não vão embora, eles não desistem nunca" (Claudio Lampert, torcedor tricolor). "se Euclides da Cunha fosse vivo teria preferido o Flamengo a Canudos para contar a história do povo brasileiro" (Nélson Rodrigues). "Aprendi a amar o Flamengo. A torcida rubro-negra me ensinou isso nas arquibancadas dos estádios" (Romário). "...não se trata de um fenômeno apenas do jogador. Mas do torcedor também. Aliás, time e torcida completam-se numa integração definitiva. O adepto de qualquer outro clube recebe um gol, uma derrota, com uma tristeza maior ou menor, que não afeta as raízes do ser. O torcedor rubro-negro, não. Se entra um gol adversário, ele se crispa, ele arqueja, ele vidra os olhos, ele agoniza, ele san­gra como um césar apunhalado" (Nelson Rodrigues).

Meus amigos, realmente estou em estado de extase total. Não simplesmente pelo jogo em si, que foi responsável pela grande festa, mas participar daquela festa, vibrar até perder a voz num Maracanã que só é Maracanã de verdade quando é habitado pela torcida Rubro-Negra, é realmente algo que me deixa empolgado ao extremo.

Minha vontade neste momento é de voltar pra lá agora e cantar sem parar "Uma vez Flamengo, sempre Flamengo", "Oh meu Mengão, eu gosto de você"...

SRN

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Ainda não acabou!

Caros amigos, infelizmente nossa invencibilidade teve fim ontem contra o Barueri. Sem Pet nosso time foi incapaz de criar qualquer jogada ofensiva. Mas ainda bem que ele não jogou, pois do jeito que o time de Barueri bateu para parar as jogadas, era capaz de tirarem o Pet do restante do campeonato. Pois, se o Willians apanhou feio, imagine o Pet.

Mas meu amigos Rubro-Negros, não há motivos para desanimar ou entrar em desespero e achar que está tudo perdido. Faltam 6 rodadas ainda e podemos muito bem tirar a diferença que hoje é de 4 pontos, para o líder, podendo chegar a 6, vamos torcer pro porco cair. Já tiramos uma diferença que era de 12 pontos. Portanto, temos sim condições de continuar lutando pelo título.

Só não podemos repetir atuações ridículas como a de ontem. Nem vou falar em arbitragem, pois isso é papo de botafiguense e mesmo que o árbitro tivesse anulado o 1° gol, com o futebol que apresentamos ontem com certeza perderíamos de qualquer jeito.

Sábado é dia de lotar o Maraca. Já foram vendidos 40 mil ingressos. Ainda não comprei o meu e temo ficar sem ou ter que recorrer a cambistas. Mas não perco esse jogo por nada. É hora de apoiarmos o Mengão e retomarmos o caminho da vitória.

Sem perder a esperança, sem desistir, vamos pra cima deles Mengão!!

SRN


terça-feira, 27 de outubro de 2009

O Mais Temido!!!

Galera, não poderia começar este post sem antes prestar minha singela homenagem a toda Nação Rubro-Negra. Hoje dia 28/10/2009 estamos comemorando mais um Dia do Flamenguista. Na verdade todo dia é dia de Flamenguista, mas todo dia 28/10 entrou no calendário oficial do Rio de Janeiro como dia do flamenguista. Nada mais justo, tendo em vista que somos a torcida mais criativa, a que realmente revolucionou a arte de torcer, com a primeira torcida organizada do país, a 1ª torcida a levar bandeirões para o estádio, a 1ª a homenagear os ídolos com caricaturas em bandeiras, a 1ª a fazer cantos de amor, etc. Sem falar na soberania territorial. Não há vida sem Flamengo. Parabéns Nação, nós merecemos!


Galera, hoje teremos mais um desafio rumo ao G4 e consequentemente ao hexa. Enfrentaremos o Barueri na casa deles. Mas daqui pra frente seja com o Barueri, Atlético ou qualquer outro, a receita é simples: pensamento Rubro-Negro, raça, amor e paixão. Simples assim. Quando os jogadores entendem esse espírito, somos imbatíveis.

Estamos há 10 jogos sem perder, isso graças ao espírito Rubro-Negro que foi plantado novamente na Gávea. Andrade ensinou os mais novos o que é ser Flamengo ajudado pelos que já conhecem bem, Adriano e Pet. Hoje posso dizer sem medo de errar que somos o time mais temido do país. Todos sabem que quando o Flamengo está embalado, confiante e motivado, é difícil segurar.

Basta os jogadores entenderem que isso não é mérito exclusivo deles, mas que isso é fruto de uma tradição que andou esquecida durante um tempo, mas que está de volta. É a camisa Rubro-Negra impondo respeito e pavor frente os adversários. Pet estava mal no Atlético, Zé Roberto esquecido na Alemanha, Adriano infeliz na Itália, Álvaro e Maldonado abandonados. Mas bastou vestir o Manto com respeito e sabendo que o Flamengo é maior que tudo e todos, que o futebol de cada um reapareceu até melhor que nos melhores anos da vida deles.


É só manter o foco, a atitude e a vontade de vencer. Porque para a torcida apenas uma coisa interessa: "Vencer, vencer, vencer!"

SRN

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Cala a boca!


Caros amigos, nosso presidente licenciado voltou e com ele também veio a eterna mania de transformar o Flamengo em oba-oba. É impressionante como certas pessoas se ausentam em momentos críticos deixando o osso para os outros e na hora do filé aparecem como se fossem os responsáveis pelo ótimo momento vivido pelo Flamengo.

A diretoria mantendo os pés no chão, o Andrade se mantendo discreto e acabando com eventual clima de oba-oba. Enquanto a imprensa em geral já diz que o Flamengo entrou na briga pelo título, o Andrade acaba com a farra e diz que o Flamengo disputa no momento apenas o G4. Os jogadores entendem o ar de seriedade e evitam falar demais. Mas aí surge ele, das cinzas, pensávamos que ele havia sumido. Mas ele ressurgiu: Márcio Braga com o seu incomparável talento em destruir trabalhos sérios e sólidos.

Mas uma vez ele veio a público em momento crucial falar asneiras. Provocar adversários e tentar implantar um clima de já ganhou que já vimos anteriormente que isso só prejudica o trabalho no Mengão. Ano passado, o Flamengo fazia boa campanha, sempre entre os 4 primeiros e disputando o título. Ganhamos uma partida difícil contra o Náutico na casa deles. Enfrentaríamos a "baba" do campeonato Atlético MG. A torcida comprou ingressos e lotou o Maraca. A arrancada rumo ao título estava preparada.

Entretanto, Márcio Braga veio a público dizer que o chop do hexa já estava comprado. Pronto. Clima de oba-oba predominou na Gávea e motivação de sobra para os adversários, todos querendo colocar uma dose de água no chop. Não deu outra, perdemos para o Atlético, empatamos com Portuguesa e Goiás em casa e demos adeus ao título e ainda ficamos sem a vaga na Libertadores.

Parece que todos aprenderam, diretoria, comissão técnica, jogadores e até os torcedores que tendem a serem mais emotivos. Apenas ele, o destruidor de trabalhos sérios não aprendeu a lição e continua em momentos em que era para ficar calado, falar compulsivamente besteiras, atrapalhando um excelente trabalho de superação, raça e recuperação no campeonato.

Espero que os jogadores e toda comissão técnica se mantenham focados no objetivo que é subir cada vez mais na tabela, surpreendendo e aniquilando os adversários com raça, técnica e determinação. Esqueçam as palavras deste tal presidente que só aparece para atrapalhar e arranquem pela raiz qualquer indício de oba-oba. Trabalho sério é o lema na Gávea e a torcida conta com isso para poder continuar comemorando momentos como os de domingo.

SRN

terça-feira, 13 de outubro de 2009

O estilo Andrade de ser


Caros amigos, em respeito aos amigos são paulinos que aqui frequentam, vou resumir o jogo de sábado como simplesmente justo. Ganhou o time que buscou a vitória desde o 1° minuto de jogo. Para ilustrar o atual momento do Flamengo, vou usar as palavras de meus companheiros de MFC que quando estão fora do ar costumam falar algumas verdades: "Se o brasileiro fosse ainda no esquema de mata-mata, o Flamengo seria o campeão deste ano". E eu não tenho dúvidas disso. Fui obrigado a concordar com eles.

Mas hoje o assunto é outro. Já faz algum tempo que somos obrigados a aturar técnicos de futebol arrogantes, donos da verdade absoluta, ignorantes e mal educados. Não vou muito longe, vou começar do que tem acontecido mais recentemente. Primeiro foi a era Luxemburgo com o seu estilo bem arrumado e uma arrogância tão exagerada que acabou por derrubá-lo da seleção e o colocar um bom tempo de molho sem clube.

Depois veio a era Leão e Muricy. O primeiro teve bons trabalhos pelo Atlético-MG, Santos e São Paulo, mas seu jeito brigão, sempre gerou rachas nos elencos. Já o segundo se consagrou sendo tricampeão brasileiro pelo São Paulo, mas assim como o primeiro, é de uma falta de educação, ignorância e falta de respeito com os profissionais da imprensa que chega a ser assustador o seu mal-humor. Isso sem falar no Dunga, que nunca para de resmungar. Parece que eles acham que quanto mais mal educados, arrogantes e ignorantes forem, mas competentes serão.

Mas, no meio de tantos técnicos com esse perfil, eis que surge alguém diferente, o nome deste técnico é ANDRADE. Com seu jeito sereno, tranquilo, sempre educado, ele vai provando que é possível ser competente sem ser mal educado, sem ser o dono absoluto da verdade, sem expor jogadores e sem fazer guerra dentro do próprio clube. Andrade, além de ter bom relacionamento com todo elenco, tem bom relacionamento com a imprensa e ouve os jogadores, aceita opiniões, permite que se levantem lideres dentro do elenco e isso sem o medo habitual dos demais técnicos de perderem o comando.

Quem já leu o livro "O monge e o executivo" sabe que existe uma diferença entre "poder" e "autoridade". O "poder" se impõe, ou seja, aqui quem manda sou eu, se não fizer o que eu digo, não vai jogar e ponto. Isso é poder. Autoridade se conquista, ou seja, as pessoas te respeitam e te obedecem não porque você pode puní-los, mas porque te admiram e fazem porque realmente confiam em você. Andrade tem autoridade no elenco do Fla e sabe dividir essa autoridade com os líderes que se levantam naturalmente.

Quem conhece o dia a dia da Gávea sabe que Andrade é uma das pessoas mais queridas lá. Apesar de ser ídolo consagrado mantém a educação e fala com todas as pessoas, sejam elas funcionários, torcedores, dirigentes, etc. É realmente um exemplo a ser seguido desde os tempos de jogador. Onde foi um jogador técnico e leal com os adversários.

Simplicidade, humildade, educação e serenidade aliados à competência e eficiência. Esse é o estilo Andrade de ser, que sinceramente espero que se torne uma nova ERA entre os treinadores. Isso está sendo muito bom para o Flamengo e se virar mania vai ser melhor ainda para o futebol.

SRN

sábado, 10 de outubro de 2009

Imbatível!


Nação Rubro-Negra, mais uma vez mostramos a nossa força. Mesmo com a chuva que já dura 4 dias ininterruptos e o frio que se alojou na Cidade, a torcida Rubro-Negra não se intimidou e compareceu em ótimo número no Maraca. Mais de 57 mil pagantes. Quem foi não se arrependeu e já aguarda ansioso o próximo jogo no Maior do Mundo.

O Flamengo foi superior ao São Paulo o tempo inteiro. Teve diversas chances de abrir o placar, mas falhou nas finalizções. Já o São Paulo aproveitou a chance que teve numa falha da zaga Rubro-Negra. Mas quem tem Pet, tem tudo. Ele mais uma vez ao lado do Zé Roberto foi o destaque do jogo. Rogério Ceni teimava em adiar a festa no Maraca. Mas Pet converteu o penalti e a torcida finalmente soltou o grito de GOL.

Depois, após passe de Bruno Mezenga, Pet lançou Zé Roberto, que não perdoou e fez o gol da virada Rubro-Negra. O MAraca veio abaixo e a festa estava garantida. A vitória foi importante para mostrar que o time do Flamengo é forte. Foi superior ao São Paulo durante os 90 minutos e poderia ter ampliado ainda mais. Andrade está no caminho certo e mostra que além de competência, tem estrela. Em todos os jogos que o Flamengo esteve em situação complicada, suas substituições surtiram efeitos. Contra o Goiás foi assim com o passe de Bruno Mezenga e o chute do Juan (ambos entraram no 2º tempo) que terminou com o gol do Zé. Hoje não foi diferente, penalti no Toró (que entrou no 2º tempo) e no segundo gol a jogada começou com o Bruno Mezenga.

Estranheza me causou a reclamação do São Paulo. Ora, realmente foi penalti e o Rogério se adiantou. A regra é clara, adiantou tem que voltar. Mas ninguém comenta o jogo desleal dos paulistas. Se o árbitro fosse um mínimo rigoroso, pelo menos dois paulistas teriam sido expulsos. Fizeram uma falta por trás no Maldonado, sem bola e o cara só recebeu amarelo. Everton fraturou o pé e Álvaro saiu com problemas no joelho.

Mas bom mesmo seria se realmente fosse "roubado". Os caras já ganharam, no mínimo, 2 Brasileiros com o apito amigo. Sempre recebem aquela forcinha, mas ainda se acham no direito de reclamar. Caros paulistas, se fosse haver a lei da compensação, o São Paulo teria que começar todos os jogos com 2 penaltis contra. Só assim para vocês pagarem por todos os benefícios que receberam.

Já são 8 jogos sem perder. Vamos no embalo até o final, com a mesma vibração, com a mesma empolgação e a mesma determinação. Andrade está colocando o sentimento Rubro-Negro nos jogadores. Quando o time joga com a mesma paixão que vem das arquibancadas, o Flamengo se torna imbatível!

Se cuida Porco!

SRN

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Flamengo x Vitória

Caros amigos, infelizmente nossa ex-invicta defesa vacilou 3 vezes ontem. O primeiro gol foi uma falha na marcação ridícula. O 2° foi mérito do Ramon e o terceiro mais uma falha no momento em que estávamos com 1 a menos. Mas foi bom que o ataque funcionou mesmo sem o Adriano. Na verdade, apesar do gol, Denis Marques mostrou mais uma vez que é fraco. A bola dele com certeza iria pra fora, mas por sorte tocou no zagueiro e entrou. Depois perdeu mais uma chance. Podem dizer que foi o gramado irregular que o atrapalhou, mas o cara não fez mais nada depois do gol.

Bom mesmo foi ver no início o Zé Roberto jogando bem. No 2° tempo errou quase tudo que tentou, mas acabou sendo recompensado pelo bom primeiro tempo com o gol de empate. Se não fosse o apagão defensivo poderíamos sem sombra de dúvidas sair com o resultado positivo. Mas diante da situação, um pontinho fora de casa nunca é tão ruim, não foi da forma que imaginávamos, mas temos que esquecer e pensar adiante.

Impressionante também foi a omissão do árbitro em algumas jogadas. No 2° tempo o jogador do Vitória fez uma falta no meio campo, parando um contra-ataque do Flamengo, literalmente agarrando o nosso jogador. Seria naturalmente uma falta para, no mínimo, um cartão amarelo. Mas o árbitro se omitiu e não puniu o jogador da casa. Mas puniu o Airton pela reclamação do lance. Depois foi a vez de uma falta feia no Willians próximo a área onde ele teria condições de ir em direção ao gol. Marcou a falta, mas não puniu o jogador.

Sem falar na vergonha que foi a atitude orquestrada dos gandulas. Sumir com as bolas, demorar a repor, é algo pequeno e digno de times pequenos e medrosos. Nunca vi isso acontecer no Maracanã. É por isso que continuo afirmando que o Maraca é o único estádio de verdade deste país. Léo Moura quase perdeu a cabeça, quando já tendo uma bola para ele bater o lateral, um gândula retirou a bola do local. Espero que o Flamengo leve o caso à CBF e que o clube baiano seja punido de verdade de forma a servir de exemplo aos demais, para que não haja mais esse tipo de coisa.

Agora é lotar o Maraca e partir pra cima do SP e continuar a nossa caminhada rumo às primeiras colocações. Por isso amigos Flamenguistas, sábado 16:10h temos encontro marcado no Maior do Mundo. Eu levarei a minha afilhada e prima, ambas de 4 anos de idade. Por isso não ficarei na tradicional arquibancada. Ficarei nas cadeiras inferiores. Quem não for Flamenguista e quiser ver o que é torcida de verdade e o que é uma festa, também está convidado para o jogo.

Não vamos perder o pique, não vamos esmurecer. Vamos pra cima deles!

SRN

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Conectados pelo Flamengo

"Há de chegar talvez o dia em que o Flamengo não precisará de jogadores, nem de técnicos, nem de nada. Bastará a camisa. Aberta no arco. E diante do furor impotente do adversário, a camisa Rubro-Negra será uma bastilha inexpugnável." Nelson Rodrigues.


Caros amigos, começo o post de hoje com uma frase do tricolor mais Flamenguista que já exitiu. A frase do Nelson é perfeita e acredito que este dia está chegando. Aliás, já tivemos dias assim, em que apenas a presença do nosso Manto foi suficiente para deixar os adversários pavorosos e com as pernas trêmulas. Podemos ver isso em todas as finais de campeonato contra Vasco e Botafogo. E agora o tricolor aderiu à síndrome do pânico ao se deparar com o Manto Rubro-Negro.

A força da torcida também é algo que contagia e deixa os adversários em estado de medo profundo. Quando a massa se reúne, canta e vibra no Maraca, o Manto ganha vida e jogadores medianos e até mesmo esquecidos se tornam gigantes. Como o argentino Valido, que já havia se aposentado há quase 2 anos e retornou ao Flamengo para disputar as finais do Carioca de 1944. Resultado: mesmo fora de forma fez o gol do 1° tri-carioca em cima do Vasco.

Quando leio ou ouço comentários de torcedores que não têm argumentos futebolísticos e tentam de maneira frustrada nos diminuir com palavras preconceituosas, fico a imaginar um mundo com o pensamento Rubro-Negro. Uma força de pensamento que ultrapassa os limites dos estádios, penetrando na mente das pessoas e fazendo do Flamengo uma filosofia de vida universal.

Falo de uma conexão de pensamentos de todos os Flamenguistas espalhados pelo mundo. Todos num só objetivo, num só pensamento: a vitória do Mais Querido e o bem comum. Esta conexão surgirá da mente, do coração. Algo inexplicável, diferenciado e único. Imaginem esta conexão fazendo do nosso planeta Terra um verdadeiro Maracanã em maior escala. Acabando com o preconceito, com as diferenças sociais, unindo a todos, mesmo que separados por milhões de quilômetros de distância. Quando nossas mentes se unirem, uma verdadeira onda de pensamentos invadirá o mais sombrio dos lugares, levando ao pensamento de todos a esperança, a felicidade e a união que habita em cada coração Rubro-Negro.

Faremos do mundo um lugar melhor para se viver. Nos multiplicaremos através do pensamento nos 4 cantos da terra e estaremos sintonizados intelectualmente. Todos em um só pensamento, aguardando o momento mágico do futebol: o gol! E quando ele acontecer, as bilhões de mentes conectadas gritarão ao mesmo instante a vitória e a liberdade. Haverá uma verdadeira tsunami vocal, a terra tremerá da mesma forma que o Maraca treme em jogos do Mengão. E aí, todas as pessoas, até mesmo o mais incrédulo do adversário, saberá que finalmente a Nação se uniu por completo e o Mundo se tornou vermelho e preto, iniciando uma nova era. A era da igualdade, do fim das discriminações, das vitórias sem fim, resumindo: a era Flamengo!

"Há de chegar o dia"

SRN

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

OUSADIA É PRA QUEM PODE!


Seria muita ousadia dos tricolores acharem que poderiam nos vencer só porque conseguiram uma vitória sofrida contra o Avaí e outra contra um time que está na mesma situação que eles, só que num campeonato muito mais fraco. Mas como de costume os tricolores não ousaram acreditar. Isto pôde ser visto no n° pequeno de torcedores que vestiam as 3 cores do arco-íris.

Muita ousadia de um tal zagueiro que chegou a dizer que anularia o Imperador. Depois se arrependeu e nem dormiu. Após o jogo teve pesadelos. Muita ousadia do Cuca desejar boa sorte ao Adriano. Se sem sorte o cara já faz estragos, vide Corinthians. Imagine o cara com sorte, deu no que deu. Mas uma derrota pro Cuca.

O Flamengo jogou com raça, determinação e para frente. Do jeito que o torcedor gosta. Andrade está de parabéns pelo trabalho que tem feito no Mengão. O cara conhece o Flamengo como poucos. Sabe como tem que trabalhar, como preparar o time, etc. Já disse anteriormente, o Flamengo não precisa de técnicos metidos a estrategistas. Os melhores técnicos que o Flamengo já teve, são do estilo boleiro, ou aqueles que foram jogadores do Flamengo e sabem o que o clube representa, vide Carpegiane, Carlinhos, Zagalo e Joel.

Andrade tem feito um trabalho que merece nossos parabéns. Os adversários que antes torciam para que não desse certo, que ficavam cornetando, hoje se mordem de raiva, ao ver um técnico sereno, de poucas palavras, discreto, humilde, mas muito competente.

Foi ele quem conseguiu trazer a felicidade de jogar de alguns jogadores. Conseguiu compromisso e dedicação de todos. Acreditou no Pet e não errou. Os caras jogam por ele, gostam dele e ele sabe como lidar com cada um. Ontem mais uma vez ele mostrou que sabe exatamente o que faz e os jogadores que têm no elenco. Não foi a 1ª vez que suas substituições surtiram efeitos positivos.

Afundamos o tricolor que agora está com a lama no pescoço, e ainda nos aproximamos do G4. A rodada foi perfeita e quarta temos que vencer o genérico baiano. No sábado é obrigação lotar o Maraca, para prosseguir na arrancada fulminante rumo ao G4. E aguardem, vem mais por aí. Ousadia e Flamengo andam lado a lado, e essa tabelinha já nos rendeu muitos títulos.

SRN

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Seja na terra ou no mar...


Caros amigos, confesso que apesar da situação difícil, estava muito confiante em uma vitória neste domingo na casa dos colorados. Mas ao ver a situação do gramado, minha confiança foi por água abaixo (literalmente). As condições eram precárias e não havia a mínima possibilidade de uma troca de passes, que é o ponto forte deste time.

Nosso maestro Pet, nada pôde fazer diante da situação. Nosso Imperador Adriano não recebia as bolas para fazer a alegria da Nação. Foi realmente um desastre a partida. De bom mesmo, apenas o espírito de luta que está predominando na Gávea. Parece que os jogadores finalmente entenderam o que é jogar no Flamengo.

O Rubro-Negro prioriza a Raça. Não pedimos toques de letra, ou jogadinhas de efeito. Mas a Raça é primordial. Ontem, por mais que tivéssemos Zico e cia. em campo, seria impossível qualquer jogada bonita. Mas prevaleceu a Raça Rubro-Negra, e é isso que o torcedor quer.

Lamentável foi a falta de sensibilidade dos responsáveis pelo jogo em permitir que ele acontecesse. Foi ruim para os dois times e horrível para o torcedor que não pôde sequer ir ao estádio. Agora é vencer os tricoletes e destruir os adversários sem piedade. Seja aqui, ou fora. Seja no seco ou no molhado. Na terra ou no mar.

SRN

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Dinheiro na mão é vendaval...


Caros amigos, hoje ao ler algumas notícias nas páginas esportivas, me deparei com uma que ao mesmo tempo me deixou feliz e triste. Li no GLOBOESPORTE.COM que as vendas das camisas do Flamengo já ultrapassam 650 mil e que as do Adriano já venderam mais de 75 mil. O clube lucrou R$ 600 mil líquidos em roayties e a fornecedora arrecadou R$ 5,4 milhões, sem o custo de fabricação.

São números realmente surpreendentes e que nenhum clube brasileiro possui. Li também que a procura de patrocinadores aumentou muito, que diversos países querem que o Flamengo vá fazer amistosos lá, que o basquete ganhou U$ 100 mil para fazer um amistoso, etc.

A pergunta que fica é a seguinte: como o Flamengo consegue dever tanto com essa potência financeira nas mãos. O Cidadão Rubro-Negro já ultrapassou os 100 mil cadastrados. Só que poucos sabem os reais benefícios da campanha, como comprar ingressos pela internet, ou loterias; comprar ingressos 1 dia antes da bilheteria abrir, etc.

Como pode um clube arrecadar tanto e nunca ter dinheiro em caixa? Pelo menos quitaram os salários, já é um início. Mas, tanto dinheiro não pode ficar nas mãos de pessoas despreparadas, como nossos dirigentes. Como diz a música: "Dinheiro na mão é vendaval".

É necessário ter uma empresa que fiscalize a utilização do dinheiro que entra e sai do Flamengo. De repente assim, haveria uma seriedade nos gastos e finalmenteo Flamengo poderia respirar aliviado sem tantas dívidas.

O que não pode é continuarmos arrecando como ninguém e nos mantendo na mesmice como a maioria. Temos potencial para nos tornar uma força mundial. Nossa vendagem de camisas e produtos licenciados é comparado a grandes clubes europeus. Mas por que ainda temos estrutura de amadores?

Escrevo este texto querendo apagá-lo, pois é discurso repetido diversas vezes por muitos e inclusive por mim. Mas toda vez que vejo os números que somos capazes de produzir e a forma que nosso clube é tratado, fico feliz por nós e tristes pelo que é feito por nós. Aí a melhor forma é jogar aqui e desabafar.

Continuaremos comprando, continuaremos participando das campanhas, por amor ao Flamengo e na torcida que os "poderosos" possam ser contagiados pelo nosso sentimento.

SRN

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Para guardar o ingresso!


Caros amigos, há momentos que são inesquecíveis. Há momentos em que falta fôlego, a garganta seca, o coração bate acelerado, para, volta a bater acelerado, dói de alegria, de susto, apreensão, etc. Ontem no Maraca foi mais uma daquelas noites em que vale a pena guardar o ingresso. Aliás, é uma de minhas manias guardar os ingressos dos jogos do Mengão.

Mas ontem foi uma atuação de gala. Mesmo com um grande susto no início, o Flamengo conseguiu se impor e aplicar mais uma vitória aniquiladora. O Maraca voltou a ser palco de grandes vitórias. A consciência de que no Maraca quem manda é o Mengão voltou a habitar as mentes dos jogadores.

Álvaro deu segurança à zaga, Maldonado entrou muito bem, pois sabe marcar e distribuir o jogo. Agora não há um Rubro-Negro que não abra um sorriso ao ouvir os nomes de Pet e Adriano. Mais uma atuação para ficar guardada em nossas memórias. Parece que a cada dia os dois estão mais entrosados. Pet pega na bola e já procura o Adriano, que já se movimenta para receber a bola do "vovô". Está realmente difícil para os adversários conseguirem segurar a dupla arrasadora.

Na arquibancada mais um show da maior e melhor torcida do mundo. Mostramos como se faz uma festa e que o Maraca é nosso por direito. Quando vemos outra torcida visitar o nosso estádio, percebemos como é estranho, como é desagradável e como ele combina conosco e com mais ninguém. Está se desenhando uma nova arrancada daquelas capaz de matar a minoria rival de inveja.

Agora é conseguir um bom resultado contra o Inter e continuar vivo na disputa do g4 e porque não, do título nacional. Nada está perdido. Vamos pra cima dos adversários, e a torcida tem papel fundamental nessa arrancada e nós sabemos disso. Só espero ter em todos os jogos do Mengão motivos para guardar o ingresso com orgulho.
SRN

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Respeito sim, medo jamais!


Caros amigos, tudo bem que o adversário não era lá essas coisas e que está na zona de rebaixamento e que até o rebaixado fluminense venceu. Mas temos que admitir que o nosso maior tormento parece ter sido resolvido. A zaga está jogando com segurança e não tem dado bobeira para os adversários. O ataque está funcionando bem com um Imperador cada vez mais impiedoso. O meio também melhorou com a entrada do Maldonado e o Pet está jogando o fino. Mas ainda acho que precisamos de mais um meia de criatividade. Nem sempre o Pet estará inspirado. Caso o Zé Roberto realmente volte a jogar bola, já dá uma melhorada.


Acredito sim que o Flamengo tem time suficiente para chegar à Libertadores. Basta jogar com consciência respeitando o adversário e ao mesmo tempo impondo o nosso jogo. Respeito não significa medo. Podemos respeitar e ainda assim ir pra cima dos adversários. Não podemos é jogar na retranca só sendo atacados como aconteceu contra o Atlético PR.


Nós somos Mengão, Raça, Amor e Paixão. Aqui no Maraca o adversário tem que tremer, sentir o peso da torcida e saber que quem manda somos nós. Fora de casa temos que jogar com inteligência, mas sempre buscando o resultado. A maioria dos times vitoriosos jogaram com 2 volantes e 2 meias. Não dá pra continuar nesse esquema de 4 volantes e os laterais criando sozinhos. Esse esquema, na minha opinião, pode até ser usado em alguns casos, mas é hora de ousar, ou melhor voltar às origens do verdadeiro futebol e jogar no tradicional 4-4-2.


Há uma frase muito verdadeira que é "o medo de perder, tira a vontade de ganhar". Não estou dizendo para irmos desordenados pra cima do adversário, mas temos que fazer valer a nossa tradição e sempre jogar buscando a vitória.


Coritiba é o jogo para ganhar 3 pontos, se distanciar mais do Z4 e se aproximar do G4. Depois temos o Inter, onde realmente teremos uma prova de fogo. Um bom resultado lá será realmente o início de uma possível arrancada nos moldes de 2007. Sem oba-oba, sem medo, apenas com o verdadeiro espírito Rubro-Negro.


SRN

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Cobertor curto


Caros amigos, uma das piores experiências da vida é dormir em um lugar frio e com o cobertor curto. Quem já viveu essa triste e angustiante experiência sabe do que estou falando. Você puxa o cobertor pra cima e senti frio nas pernas. Joga o cobertor pra baixo e fica com o peito exposto ao frio. É realmente uma tortura que só termina com a noite.

Pois é exatamente o que ocorre com o Flamengo. A síndrome do cobertor curto! Ano passado, tivemos a clara chance de sairmos da fila de títulos do campeonato brasileiro. Ficamos o campeonato inteiro entre os 5 primeiros. Chegamos a abrir boa vantagem na ponta da tabela. Mas pecamos nas finalizações. Ficamos 7 jogos sem vencer e com o time jogando, na maioria das vezes, melhor que o adversário. Mas não tínhamos ataque eficiente. E quando ele demonstrava alguma eficiência, a zaga vacilava, como no jogo contra o Goiás.

Esse ano também estamos passando pela mesma situação, com exceção da colocação na tabela. Mas no início do ano tínhamos a presença do Capitão Fábio Luciano e uma zaga mais firme e segura. Entretanto, o ataque era de dar nos nervos. Obina ficou quase 20 jogos sem marcar, Josiel era um caneludo que as vezes acertava alguma coisa. Mas no geral era triste ver aquele ataque.

Bom, chegaram Emerson e Adriano e o ataque melhorou muito. Mas em compensação a zaga andou a fazer besteiras levando gol de tudo que é jeito e de tudo que é jogador. Fazíamos 2 gols e levávamos 4. A síndrome do cobertor ainda rondava a Gávea. Foram contratados Maldonado e Álvaro, e deste a entrada do Álvaro não levamos gols. E fizemos 3 no fraco Santo André que bate apenas no Botafogo.

Mas contra o Atlético-PR vimos um time sem padrão de jogo. Enquanto nos defendíamos até com eficiência (aliás só nos defendemos), o ataque não existiu, o meio sem criatividade. Espero que com a volta do Adriano consigamos encontrar o equilíbrio e acabar com essa síndrome que não quer deixar a Gávea.

SRN

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Qual o FOCO?


Queridos amigos leitores, a vitória contra o Santo André trouxe alívio para nós torcedores que já não aguentávamos mais a sequência sem vitórias. A chegada do Álvaro e Maldonado também reforçarão o setor defensivo. Falta apenas a chegada de um meia ofensivo. O Pet está dando conta do recado (para surpresa de todos), mas a sua idade avançada não permite o mesmo desempenho durante todo o jogo, e as lesões são cada vez mais frequentes. Há quem me pergunte em tom de ironia: "como você se sente com o destaque de seu time ser quase um vovô? Respondo na boa: pergunte como o adversário se sente quando um vovô é o grande responsável pela vitória do Flamengo.

Mas o assunto não é este e nem a caridade que fizemos com os já rebaixados tricolores. Permitimos o avanço deles como um prêmio de consolação, tendo em vista que já foram eliminados por nós no Carioca e amargam a vergonhosa lanterna do campeonato. Pior que eles só mesmo o Vasco, que joga a temida e vexatória segundona. Mas o assunto como de costume somos nós, a maior torcida do Mundo, a única que ostenta o título de Nação e é patrimônio cultural do Rio de Janeiro, tem o dia 17 de novembro como dia oficial no Estado do Rio de Janeiro como o Dia do Flamengo, etc, etc.

Pois é, essa torcida programou um protesto contra a diretoria no último sábado. Apesar de não ter ido (por compromissos pessoais), apoiei a ideia. Toda manifestação pacífica é válida. Mas pelo que li ( e se estiver errado me corrija), no final das contas, uma manifestação que era contra o descaso da diretoria, acabou virando protestos contra as escalações do Andrade.

Minha querida Nação, mudar a escalação de um jogo não vai fazer a menor diferença, não vai mudar nada no clube. No máximo, muda um jogo ou outro, mas os problemas continuarão. A diretoria do Flamengo é conhecida por ver apenas um palmo à sua frente, não pensam no amanhã, não têm planejamento. Por isso o Fla se encontra nessa posição. A torcida não pode ser assim também.

Se realmente queremos mudar o rumo do clube, temos que olhar adiante, e não um palmo à frente. A diretoria e o descaso, a falta de responsabilidade e os interesses políticos e pessoais que eles colocam acima do Flamengo têm que ser o nosso foco nas manifestações. Só assim poderemos pensar em mudanças concretas na estrutura do clube. Mas se ficarmos perdendo tempo com escalações, e jogador "a" ou "b", ficaremos eternamente na mesmice. Pois não estaremos atingindo o "foco da dengue", mas apenas nos enganando, achando que uma escalação mudará a situação do clube.

É hora de mudarmos nossa maneira de pensar, esquecer um pouco aquele torcedor de arquibancada e passar a atuar mais politicamente. A pressão sempre cai sobre os ombros dos jogadores e técnicos. Por isso, os dirigentes sempre se esquivam e continuam praticando atos que só prejudicam o nosso Flamengo. A hora que a pressão da Nação cair em cima deles, aí sim teremos a chance de limpar a Gávea com a saída destes aproveitadores. Pensem nisso.

SRN

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Diretas já!


Fala galera blogueira! O professor Vitor falou tudo quanto ao momento vivido pelos clubes do Rio. Já cansei de falar aqui em falta de estrutura, amadorismo, má vontade, etc, etc. Mas o que me questiono todos os dias, é o que posso fazer para melhorar o cenário atual. Qual é realmente o papel da torcida em momentos como estes? Será que devemos nos contentar em ficar nas arquibancadas enquanto fazem o que querem com nossos clubes?

O torcedor é o que sofre mais, é quem gasta dinheiro para ver o time, para andar com as cores do time; é quem chora, sorri, discute e defende o clube independetemente da situação. Mas nos sentimos de mãos atadas e paralisados com os desmandos e as atitudes sem explicação dos dirigentes. Será que não podemos fazer nada? Será que estes carase stão acima de tudo e todos? Parece que se sentem até mesmo acima dos clubes.

Desde as goleadas para Sport e Coritiba, a torcida do Flamengo estende uma faixa com os dizeres "O Flamengo está acima de tudo e todos". E era para ser assim, mas não é. Temos apenas 5 mil sócios e o atual presidente foi eleito com pouco mais de 700 votos. Como pode uma Nação de 35 milhões de torcedores serem representados por 700 votos? A diretoria não cria um programa de sócios para o torcedor porque tem medo de perder a "mamata", de não poder mais agir como bem entedem.

Pior, dificulta a entrada de novos sócios, como aumentando demais as mensalidades e aumentando o tempo para poder votar. Não é possível vermos isso tudo acontecer e não podermos fazer nada. Sábado terá uma manifestação em frente a Gávea organizada por blogueiros. Acho a ideia boa, pois é uma demonstração que a torcida está insatisfeita e que os protestos não ficarão restritos às arquibancadas. Mas faremos em qualquer lugar, sempre sem o uso da violência.

Se a lei isenta esses bandidos de qualquer responsabilidade, eles terão que prestar contas a nós torcedores. Depois de muito pensar, acho que a melhor maneira de revolucionar o Flamengo é o voto direto. Esqueça esse papo de sócio. Quem quiser votar, deve se inscrever antecipadamente e depositar uma taxa mínima para financiar a organização do pleito. Assim, todo torcedor interessado poderá votar, escolhendo aquele candidato que achar ser o melhor para o Flamengo.

Acho que devemos começar a nos movimentar pelas DIRETAS JÁ! É a única forma de tirarmos essa corja que se instalou na Gávea e não sai de jeito nenhum. De repente com o voto da torcida, pessoas de bem se interessem em retornar ao Mais Querido para voltarmos a ser uma potência no futebol com títulos e glórias. A torcida não pode mais se contentar com a arquibancada. A força da arquibancada tem que se refletir dentro do clube. E o voto, na minha opinião, é a solução!

SRN

sábado, 22 de agosto de 2009

Desabafo

Bom nosso momento não é dos melhores. Já tivemos até momentos piores, mas a repetição de erros estão nos tirando a paciência e nos deixando cada vez mais irritados com a corja que teima em acabar com o Mengão. É unanime não só entre Flamenguistas, mas entre todas as torcidas, que o dia que o Flamengo tiver uma diretoria consciente, seremos a maior potência do Brasil. Chego a dizer que se for muito séria, seremos a maior potência do mundo.
A torcida sonha com esse dia, mas este sonho torna-se cada vez mais distante. Todo início de ano é a mesma conversa. A diretoria e técnico falam em planejamento. Mas o planejamento há muito, muito tempo não existe no Flamengo. Planejam apenas o Carioca. Depois, o Flamengo vira um balcão de negócios. Este ano ainda foi menor "graças" ao número excessivo de jogadores no departamento médico, e a má fase de outros.
Não vou me alongar no assunto, pois muito já foi falado. Qualquer um por mais leigo que seja sabe o potencial da torcida e do Flamengo. MAs nossos diretores são omissos e parecem que não querem trazer as glórias de volta ao Mais Querido. Essa nova campanha "Cidadão Rubro-Negro" é mais uma prova disso. Uma campanha fraca, mal divulgada e que dependerá de muitas, mas muitas adesões para dar certo, sendo que as vantagens são poucas, e a credibilidade da diretoria é zero.
Eu participo, e quando tiver que pagar, pagarei, por amor ao Flamengo. Sei que muitos farão isso. Mas também tenho a ciência de muitos torcedores que não pagarão. Mas não por falta de amor ao Flamengo, mas por acreditarem que será mais uma fonte de renda para essa diretoria safada! Concordo com eles, e infelizmente não posso falar que estão errados. Eu participarei independente de minhas desconfianças. Farei por amor, puro e simples. Mas vou pesquisar e procurar saber o que tem sido feito com o nosso dinheiro.
Acho que a torcida tem sido omissa na cobrança, e já falei sobre isso em outras oportunidades. Não voltarei ao assunto. Só estou desabafando, pois a cada dia fico mais desanimado com o caminhar do nosso clube. Jamais desistirei do meu Flamengo. Mas que dá uma tristeza vê-lo abandonado, isso dá.
Pra encerrar, cheguei à conclusão, e espero que esteja totalmente equivocado, mas nosso Flamengo só voltará a ser o que foi e o que nunca deveria ter deixado de ser, quando tivermos homens de bem, respeitados e honestos. TOdos já têm nomes na cabeça: Zico e Leonardo, auxiliado pelo Junior. Mas como os planos deles no momento são diferentes, não vejo solução à curto prazo. Repito: espero sinceramente estar totalmente equivocado.
SRN

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

O Brasil não é o bastante!


Caros amigos, essa novelinha do Emerson já está enchendo o saco. Tem torcedor chamando ele de mercenário. Fala sério! São 17 milhões de reais. Alguém aí rejeitaria toda essa grana quase em final de carreira? O cara veio a custo zero e honrou o Manto com muita raça e determinação. Vai fazer falta, mas não podemos criticar o cara. Ele não está trocando a Gávea por meia dúzia de reais, mas são 17 milhões! Com certeza o Flamengo vai liberá-lo e sinceramente desejo sorte a ele.

Mas nem só de despedidas vive o Flamengo. É incrível a capacidade que o Flamengo tem em conquistar torcedores a cada dia e em todos os lugares do mundo! Ontem vi uma reportagem no Pará e pessoas usando a camisa do Mengão. No domingo vi uma reportagem de uma família de Rubro-Negros. Olha o nome das figuras: Zicomengo, Flamozer e Francifla. Este pai era Rubro-Negro mesmo. Mas aqui no Brasil está tudo dominado mesmo e é fato.

Agora me surpreendeu a entrevista do zagueiro Booth da África do Sul dizendo que acompanha o futebol brasileiro e que seu filho torce para o Flamengo. Como pode um clube que infelizmente nos últimos anos tem conquistado apenas campeonatos regionais continuar fazendo adeptos por todo mundo? Como pode esta torcida não parar de crescer mesmo com as últimas campanhas?
Já vimos outros clubes e momentos de glória "aumentar" a sua torcida. O Vasco em 97/98, quando era modinha vestir a camisa do Vasco, o Flu em 2008, também virou modinha. Mas depois da boa fase voltaram a mesmice e a torcida encolheu voltando ao verdadeiro numerário. Mas com o Flamengo é diferente, a cada dia surgem milhares de torcedores espalhados por esse mundão todo.

Não precisamos vencer ou ganhar títulos para conquistarmos mais torcedores. As pessoas torcem para o Flamengo por identificação, por amor, paixão, sei lá, por algo que não tem explicação. Não somos torcedores de modinha, de vestir a camisa quando o time está bem. Somos torcedores de verdade, guerreiros inabaláveis, e principalmente, temos um amor incondicional ao Clube de Regatas do Flamengo.

Talvez seja este o motivo do nosso crescimento: o amor verdadeiro se transmite, passa de pai para filho, nossos gritos de amor ultrapassam o concreto do Maraca e atingem os corações de pessoas em todo o mundo. O amor da torcida é o motivo do seu próprio crescimento. Se tivéssemos uma diretoria com um mínimo de competência, o Real Madrid, Barcelona, Manchester United seriam clubes pequenos, quase invisíveis perto de nós. Já que com campeonatos Cariocas conseguimos conquistar torcedores em todos os lugares possíveis.
A entrevista do Booth só trouxe à tona uma verdade: O Brasil está ficando pequeno para nós, já não é o bastante.

SRN

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Fla - Flu, infelizmente com mistão


Caros amigos leitores, o assunto de hoje não poderia ser outro: é o Fla-fluflu emocionante de hoje! O primeiro internacional (já que eles não têm qualquer tradição em competições internacionais). Mas infelizmente, o jogo de hoje é tratado como mais um por nossa diretoria, comissão técnica e jogadores. Pior é que isso acaba afetando nós torcedores.

Já houve o tempo em que Fla-fluflu era feriado. O jogo mais esperado. Por isso se tornou o clássico mais charmoso do Brasil e o mais conhecido internacionalmente. O enfrequecimento deste clássico também se deve à decadência em que o fluflu se afundou: 2 rebaixamentos seguidos, depois a série C, por fim um retorno sem mérito algum. Isso fez diminuir a rivalidade e aumentar a nossa com o recém rebaixado vascaiu.

Mas o que me irrita no clássico de hoje é esse papo de time misto. Será que não é possível jogar 2 vezes na semana? Os caras ganham uma fortuna e só podem trabalhar sério uma vez por semana. Se for seguir esta lógica, não consigo entender como eles conseguem jogar no Brasileiro quartas e sábados, ou quintas e domingos. Mas se colocam outro campeonato, a missão se torna impossível. Mas esquecem que se não houvesse a Copa Sul-Americana, eles jogariam os mesmos dias no Brasileiro e sem poupar jogadores.

Tudo bem também que essa Copa Sul-Americana só joga pra valer quem não tem qualquer pretensão no campeonato Brasileiro, como foi ano passado feito pelo Internacional. Mas também acho outro erro. O Flamengo de Zico e cia. (aquela máquina de jogar futebol bonito e eficiente) jogava 4 vezes por semana e conquistava praticamente todos os títulos que disputava. Será que a preparação era melhor? Os jogos eram mais fáceis? Pra se ter ideia, em 81 o Flamengo disputou a final do Carioca contra o vasco, ganhou (pra variar) e logo em seguida viajou para disputar o título Mundial. Se fosse hoje, nós teríamos disputado a final do Carioca com os reservas, ganharíamos assim mesmo (pois vencer vasco em final já é tradição) e os titulares só jogariam o Mundial.

Não tem nada a ver com preparação física, ou dificuldade de jogos. Ocorre que no Brasil (eu disse no Brasil e não somente no Flamengo) se criou uma tradição de não poder disputar 2 campeonatos ao mesmo tempo. De não poder jogar dois jogos por semana. "É muito cansativo e desgastante". Pelo amor de Deus!!! Se vai disputar um campeonato, que entre pra ganhar, ou então peça pra sair, ou nem mesmo entrar.

Por fim, mesmo com nossos reservas, destruiremos os tri-rebaixados tricoletes, aumentando a nossa superioridade em vitórias sobre eles e avançaremos para a próxima fase. da Sul-Americana. Não que seja grande coisa esse campeonato, mas não podemos esquecer o que diz nosso maravilhoso hino: "Vencer, vencer, vencer". E é assim que tem que ser, sempre!

PS.: Lembro-me de um Fla-fluflu na semi-final do Carioca de 2004 em que o fluflu nos vencia por 3x1 até os 23 minutos do 2° tempo e a torcida tricolete gritava "olé". Mas esqueceram que era o Flamengo. A torcida Rubro-Negra se levantou e conseguiu uma virada heróica para 4x3, conquistando a vaga para a final e conquistando o título. Alguém sabe de quem ganhamos na final? Do vacaiu, é claro, sempre ele! LEia uns trechos do texto do tricolor Claudio Lampert sobre o jogo e sobre nossa torcida:
...
"É o Sobrenatural de que tratava Nélson Rodrigues. É perturbante. É aquela massa uniforme pulando do outro lado. 23 minutos, 1x3, e eles não paravam de pular; ninguém saía do seu aperto; ninguém ia embora. Eles nunca vão embora. Eles nunca arredam o pé.Eles não se sentam, não param de gritar. Eles não sossegam. Me perseguem, me sufocam, me habitam os pesadelos e me causam pânico. Quando eu olho para o outro lado é isso que eu sinto. Eles acreditam mais do que os outros. Mais do que eu e todos os outros juntos. E disso, meus caros, eu tenho que reconhecer, chega dá medo. Eles jogam com 12. E jogar com 12 deveria ser proibido.
"...
Dentro do táxi, uma frase de uma criança de sete anos ficou estalada no meu tímpano: "Papai, eu tenho nojo deles".- Eu também tenho filho... É só o que posso dizer hoje. Mas se não fossem eles essa mágica não existiria. Por Claudio Lampert ( Ilustre Torcedor Tricolor )."


SRN

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Acorda Mengão!


Queridos amigos, estou ficando impressionado com a capacidade deste time do Flamengo em começar o jogo dormindo e depois buscar reações quase que inacreditáveis, e depois em alguns momentos dormir novamente.

Contra o Santos começamos perdendo e conseguimos a virada, contra o Atlético-MG começamos perdendo também e conseguimos a virada, contra o Náutico dormimos de novo e conseguimos apenas o empate. No último jogo dormimos boa parte do 1° tempo e levamos 2 gols do Goiás e ainda tivemos força para empatar no 2° tempo. Mas dormimos de novo e tomamos o 3° no finzinho.

Está na hora do time entrar com garra e determinação. Podemos ver jogadores andando em campo logo no início do jogo. Se o time tiver pegada logo no início será mais fácil conquistarmos os pontos. Agora ter que sair atrás no placar todo jogo é algo que tem que ser visto e trabalhado.

Vamos acordar Flamengo! Libertadores é muito pouco para nós, isso não nos enche os olhos, até mesmo o Carioca não tem nos deixado tão felizes como antes. Precisamos de um título de expressão nacional e internacional. Voltar a ser o gigante respeitado e temido por todos. E isso só conseguiremos se tivermos o espírito Rubro-Negro dentro de campo durante os 90 minutos e fora de campo com enpenho nos treinos e disciplina.

O Andrade sabe o que significa o Flamengo, por isso acho que ele era realmente a pessoa certa para ser treinador. Espero que ele tenha a habilidade para transmitir ao elenco o que significa conquistar um título expressivo pelo Flamengo. Ele é o exemplo mais próximo de como aqueles que honram o Manto são ídolos eternizados pela nossa Magnífica torcida!

ACORDA MENGÃO!!!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Ditadura futebolística?


Caros amigos blogueiros, após a euforia das vitórias e a decepção pelo empate com direito a ofensas à torcida, é hora de esquecer estes fatos lamentáveis, não permitindo que a imprensa maldosa fique fazendo de um fato passado, motivo para se criar mais uma "crise". É hora de nos concentrarmos apenas no próximo jogo, que não será nada fácil, pois o Goiás vem bem no campeonato e conquistando pontos importantes.

Entretanto, a vitória contra eles ultrapassa os 3 pontos no campeonato. É hora de colocar esse técnico Hélio do Anjos em seu devido lugar. O cara que a única expressão como jogador foi o fato de ser o 3° goleiro do Flamengo, na reseva de Raul Plasmann e Cantarele. Já como técnico conquistou o brasileiro da série B e títulos como campeonato Goiano e Pernambucano pelos time que sempre ganham estes campeonatos, ou seja, Goiás e Sport. Fora isso, só sabe falar bobagens e mostrar a sua decepção por não ter conquistado grandes coisas, a não ser como 3° reserva daquele grande time do Flamengo.

Ano passado, o cara venceu o Flamengo lá na casa deles, e após o jogo ao invés de exaltar o seu time, preferiu falar mal do Flamengo gratuitamente. Agora, o cara começa a provocar a ira de todos os torcedores, sejam eles Flamenguistas que têm todo o direito de torcer para o seu time, estejam onde estiver, seja no Rio ou no Acre. E ainda desperta a ira dos torcedores do Goiás que tratarão os torcedores Flamenguistas com desprezo e espero que pelo menos não usem da violência.

Estes fatos só demontram a veracidade das pesquisas de popularidade. O jogo contra o corinthians não teve metade desta repercussão. Agora pedir para que a torcida adversária ajude a torcida do Goiás contra o Flamengo, foi no mínimo, uma falta de respeito ao torcedor esmeraldino que com certeza se sentiu diminuído com a insinuação de seu técnico de que o clube não possui uma torcida forte o suficiente para apoiar e incentivar o próprio time, pedindo auxílio aos rivais.

Durante o campeonato podemos ver cenas lamentáveis, principalmente nos estádios do Nordeste onde o Fla divide o estádio com a torcida "local". Podemos ver constantemente a faixa com os dizeres: "A vergonha do Nordeste", e uma seta indicando a torcida do Flamengo. Fatos como estes ultrapassam o limite da rivalidade e passa para o campo do desrespeito. Mas infelizmente as autoridades não tomam qualquer atitude para que estes fatos não se repitam.

O treinador fazer campanha para que os seus torcedores compareçam ao estádio é normal e compreensível. Agora dizer que "quem for Flamenguista que fique em casa", é uma falta de respeito e um insulto que merece punição da mesma forma que querem punir o Léo Moura. Será que quem mora em um Estado não pode torcer para um time de outro Estado? Pior: será que este torcedor não tem o direito de ir ao estádio só porque não torce para o time da casa? É correto mandar o torcedor ficar em casa e fomentar a hostilidade entre torcedores rivais?

Se for desta forma, ou seja, impedir que o torcedor vá ao estádio por meio da intimidação e fomentando ira, revolta e violência, preparem-se para a ditadura futebolítisca, e a limitação de espaço, onde cada um fica no seu estado, torcendo para o seu time, sem o direito constitucional de ir e vir. E consequentemente sem o direito e o prazer de acompanhar seu time onde ele estiver.

SRN